Já vimos no post “Peixes cartilaginosos X Peixes ósseos” que os peixes ósseos são animais pertencentes à superclasse Osteichthyes, apresentam o crânio recoberto por placas ósseas e um conjunto de placas ósseas denominadas opérculo que delimita a cabeça desses peixes. Sendo que uma das principais características que os diferem dos peixes cartilaginosos é o fato deles apresentarem escamas dérmicas que se originam na camada mesodérmica da pele e encontram-se fortemente fixadas ao corpo.

Hoje continuaremos falando dos peixes ósseos dando ênfase na taxonomia da superclasse Osteichthyes que é composta por duas classes: Actinopterygii e Sarcopterygii. Já falamos sobre a classe Actinopterygii e a seguir veremos um pouco mais sobre a classe Sarcopterygii.


Classe Sarcopterygii

Os peixes ósseos que pertencem à classe Sarcopterygii possuem nadadeiras lobadas (apresenta um conjunto robusto de músculos); um esqueleto com ossos de origem endocondral; nadadeira caudal dificerca (as nadadeiras medianas, dorsal e ventral se deslocaram para a parte posterior do corpo formando uma nadadeira continua e flexível em torno da nadadeira caudal); nadadeiras pares e medianas presentes; pele com escamas dérmicas embutidas; bexiga natatória que auxilia na flutuação (preenchida de gordura nos celacantos); brânquias apoiadas por um arco ósseo e recoberto pelo opérculo; sexos separados e a fertilização pode ser externa ou interna dependendo da espécie; o corpo é geralmente alongado.

Resultado de imagem para Sarcopterygii
Peixe da classe Sarcopterygii

Uma das características interessantes desse grupo é a presença da respiração pulmonar. Os dipnoicos, conhecidos popularmente como peixes pulmonados, apresentam um ou dois pulmões que não apresentam brônquios e é capaz de extrair oxigênio do ar atmosférico. Em períodos de seca, esses peixes abandonam a respiração branquial e passam a respirar usando os pulmões. Atualmente existem 6 espécies de peixes pulmonados (3 gêneros) e o celacanto.

Os peixes pulmonados do gênero Neoceratodus são encontrados na Austrália e podem atingir 1,5 metros de comprimento, sendo os mais semelhantes com os ancestrais do grupo. Além disso, eles são muito dependentes da respiração branquial e não pode viver muito tempo fora d’água. Já os peixes pulmonados dos gêneros Lepidosiren encontrado na Ámerica do Sul e Protopterus na África podem sobreviver por mais tempo fora d’água. Peixes pulmonados africanos se enterram na lama quando o nível da água dos rios diminui muito. Há casos em que a lama seca devido a altas temperaturas e esses peixes ficam presos e permanecem num estado de dormência, ao chegar a estação chuvosa eles se desenterram. No Brasil, a espécie Lepidosiren paradoxa, popularmente conhecida como piramboia, é encontrada na região amazônica.

Resultado de imagem para Neoceratodus
Neoceratodus forsteri
Resultado de imagem para Protopterus
Protopterus annectens
Resultado de imagem para Lepidosiren
Piramboia (Lepidosiren paradoxa)

Os celacantos surgiram no Período Devoniano e surpreendentemente existe uma espécie atual chamada Latimeria chalimnae que foi encontrada na costa da África do sul. Outro ancestral do grupo são os ripidístios que floresceram na Era Paleozoica e foram extintos.

Resultado de imagem para celacantos
Celacanto

Os Ripidístios tem uma importância especial, pois incluem os ancestrais dos tetrápodes. Mas essa é uma história que contaremos em breve. Espero que tenham gostado e até a próxima!